A nova plataforma de cobrança de boletos já está em vigor desde julho de 2017, o que acontece é que essa mudança vem sendo gradativa em função dos valores dos boletos. O cronograma das mudanças encerrou em 10 de novembro de 2018, com a última inclusão, boletos de cartão de crédito e de doações.

Isso significa que, boletos que não sejam registrados, não serão mais liquidados pela rede bancária, independente de qual banco se tratar.

Essa mudança foi incentivada pelo sistema bancário, visto que desde o ano de 1993 (ano de criação desse sistema de pagamento), não havia ocorrido nenhuma atualização.

O que muda?

Essa nova forma traz aos usuários desse sistema mais confiabilidade, controle e segurança, levando em consideração que, os boletos registrados (em qualquer que seja o banco emissor), tem suas informações armazenadas em uma Base Central, onde todas as instituições bancárias, e também correspondentes têm acesso, o que não ocorre no caso de boletos sem registro.

Para o consumidor a mudança deixa ainda mais cômodo o uso deste recurso, enquanto que, antes boletos vencidos só poderiam ser atualizados e pagos no banco emissor, agora esse serviço pode ser executado em qualquer instituição financeira, correspondente bancário e internet banking.

Essas facilidades acabam por evitar deslocamentos, filas e até mesmo riscos. A maior agilidade e facilidade do processo, acaba por contribuir também (ainda que em pequenas proporções) para a redução da inadimplência, uma vez que o pagamento poderá ser realizado em locais anteriormente não permitidos.

Publicado em segunda-feira, 01 de junho de 2020.

Outras notícias